TAMAS PRÁNÁYÁMA 7/

8 – MADHYAMA PRÁNÁYÁMA Respiração média sem ritmo. (meio)
Essa é uma das respirações mais complexas e difíceis de se obter resultado e deve
ser combinada com exercícios que aumentem a mobilidade e flexibilidade da caixa
torácica para facilitar sua execução. Para sentir melhor o movimento podem ser
usados recursos como colocar as mãos nas costelas para sentir o movimento,
colocar as palmas das mãos no tórax pela frente do corpo com os dedos unidos, e
vale até colocar uma fita métrica para medir a expansão. No madhyama pránáyáma
não utilize a parte baixa nem a alta dos pulmões, não levante os ombros, não
estufe o peito nem projete o estomago, você deve sentir o alargamento das
costelas flutuantes, quando dominar esta habilidade, você poderá dispensar a
utilização das mãos.
Posição: Vajrásana, samánásana, virásana, swastikásana.
Mudrá: Jñana.
Execução:
Variação N. 1
a) Colocar as palmas das mãos tocando os lados das costelas, com o polegar
voltado para trás e os demais dedos voltados para frente deixando as palmas das
mãos sentirem o contorno ósseo;
b) Expire sem fazer nenhum tipo de pressão com as mãos, de forma que estas
acompanhem o movimento das costelas;
c) Inspire, sentindo agora, o movimento para fora exercido pela expansão das
costelas;
Variação N. 2
a) Solte todo o ar dos pulmões;
b) Coloque as palmas das mãos no tórax pela frente do corpo com os dedos
unidos;
c) Inspire sem fazer nenhum tipo de pressão com as mãos, de forma que estas
acompanhem o movimento das costelas percebendo o afastamento dos dedos à
medida que entra o ar;
d) Expire, sentindo agora, o movimento de retorno fazendo os dedos se tocarem
novamente;
Variação N. 3
a) Solte todo o ar dos pulmões;
b) Coloque uma fita métrica em volta do tórax, e verifique quantos centímetros
você tem de circunferência com os pulmões vazios;
c) Inspire permitindo que uma das pontas da fita métrica deslize enquanto as
costelas se movimentam aumentando o diâmetro da caixa torácica à medida que
entra o ar;
d) Objetivo em cada volta conseguir uma dilatação maior.
Tempo: No mínimo 15 minutos de execução.
Efeitos: O constante trabalho de alongamento e flexibilização das costelas permite
respirações mais amplas que o normal. Com isso há uma considerável sensação de
liberdade e relaxamento, visto que as tensões nessa região agravam as sensações
de ansiedade e stress.
Chakra: Anáhata.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s