Receita de pão germinado.(Essênio)

O preparo desse alimento, em si, altera a sua relação com a comida.

Para a receita são necessários poucos ingredientes, mas (acredite)algumas virtudes.

1/3 do cuidado que você tem com as coisas que você mais ama e a mesma quantidade de desapego, paciência a gosto.

Você vai precisar também dos elementos da natureza.(água, ar e sol)

Ingredientes mesmo, é só Trigo germinado (personagem principal dessa novela), Sal, Azeite e ervas(se quiser), ah e você vai precisar de uma vasinha, um processador (ou liquidificador) e uma peneira.

*Na internet encontrei receitas misturando outros grãos, como linhaça e gergelim eu ainda não testei.

-Germinação do trigo

*A quantidade de trigo depende muito do tamanho da sua vasilha.

1º Passo (ativação do grão) ; coloque o trigo em uma vasilha com água e deixe por 8 horas imerso na água. (o conselho é colocar a noite e tirar no outro dia de manhã)

2º Passo (fecundação); com a peneira escorra toda a água da vasilha e deixe por 26 a 36 horas, lavando de 8 em 8 horas pelo menos. Mantenha o trigo em uma vasilha que bloquei a incidência de luz (ou um pano por cima da vasilha) ou em um ambiente que bloqueiem a incidência de luz, tentando reproduzir o ambiente escuro do subsolo. Quanto mais escuro mais rápido o trigo germinará. *o tamanho ideal do broto é de 2 a 3 centímetros. Se demorar mais que o tempo necessário os brotos atingiram uma coloração esverdeada, o sabor se tornará adocicado.

3º Passo (preparo da massa); quando o trigo estiver atingido a germinação desejada, pode colocar sal nele. 1 colher de chá de sal para cada 100 gramas de trigo.

O sal além de temperar, impede que o trigo germine ainda mais, caso você não tenha tempo de preparar ele no momento da germinação ideal.

Antes de bater verifique se ele está seco, se não estiver vale a pena secar com uma toalha.

-Bata o trigo até que você não veja mais nenhum grão inteiro e a massa esteja razoavelmente homogênea. Utilizando um processador você pode bater o trigo puro, já em um liquidificador( que é mais estreito) eu aconselho acrescentar o azeite logo no inicio.

-Espalhe a massa em uma superfície lisa(e higienizada) e amasse.

Eu os fiz em discos, pois nesse formato eles ficam prontos mais rápidos.

Pincele azeite, manteiga ou qualquer outro tipo de gordura.

4º Passo (assar)os cozinheiros mais ortodoxos, assam o pão no sol, nesse processo os pães devem ficar pelo menos 5 horas assando no sol. *você pode usar uma assadeira e um tecido-filó para proteger os pães, ou uma ferramenta que permita a incidência solar e o contato com o ar.

Utilizando o sol como forno, seu alimento vai ter um caráter mais revitalizante ainda, lembrando que o sol é o primeiro doador na cadeia alimentar, sendo a fonte de energia mais limpa que conhecemos.

Mas claro, você também pode fazer no forno. Depois de esperar tanto tempo, é natural que você não esteja com paciência para esperar mais cinco horas, ainda mais se for fazer pela 1ª vez.

Depois do forno pré-aquecido em 120 graus, deixe os pães de 15 a 20 minutos no forno, depois de 10 minutos vire o lado dos pães.

Seus pães estão prontos, utilize pastas ou geleias.

Observe ao longo do dia como esse alimento lhe satisfaz de uma forma bem peculiar, você está mais inteiro em suas ações. Esse alimento além de tudo é um poderoso 41286239_2193737710901405_47359745379532800_n.jpg

 

 

 

RAJAS PRÁNÁYÁMA 4/6

Variação N. 7
a) Inspire elevando os braços estendidos e pela frente do corpo até a altura dos
ombros;
b) Retenha o ar;
c) Feche firmemente as mãos e movimente vigorosamente os braços, flexionando
os cotovelos e extendendo-os, trazendo as mãos para perto dos ombros e volte a
estendê-los várias, faça esse movimento varias vezes antes de expirar;
d) Pare o movimento;
e) Agora expire lentamente, baixando os braços simultaneamente. Um dos
objetivos dessa respiração é energizar o corpo todo aumentando a disposição e o
grau de atenção. Ele fortalece de forma incomum os músculos dos braços
principalmente o bíceps e o tríceps. O maior cuidado com a execução é que você
não deve deixar os braços estenderem completamente deixando uma pequena
folga, quase não se percebe essa flexão do braço. Fazemos isso por causa do
cotovelo, o choque dos ossos batendo um contra o outro pode com o tempo
machucar a região. Faça o movimento, pelo menos, vinte vezes entre cada
retenção e vá aumentando gradualmente até o quanto agüentar sem exageros.


Variação N. 8
a) Inspire elevando os braços estendidos e pela frente do corpo até a altura dos
ombros;
b) Retenha o ar;
c) Feche firmemente as mãos e movimente vigorosamente os braços, flexionando
os cotovelos e extendendo-os, trazendo as mãos para perto dos ombros e volte a
estendê-los várias, faça esse movimento varias vezes antes de expirar;
d) Pare o movimento com os braços flexionados;
e) Estenda os braços resistindo como se tivesse que vencer uma grande resistência
contrária ao movimento, fazendo devagar e com grande esforço até a ponto de
tremer;
f) Agora expire lentamente, baixando os braços simultaneamente. O objetivo dessa
técnica é fortalecer física e emocionalmente quem o pratica, depois de executar os
movimentos a pessoa pode sentir certo desgaste é conveniente não exagerar.

Respirar emagrece.

De forma alguma os mestres antigos e atuais do Yoga tinham o objetivo de desenvolver técnicas para a “perda de peso”, mesmo que hoje em dia a Organização Mundial da Saúde(OMS) aponte a obesidade como 2º maior indicador de risco de morte mundial e 30% da população mundial está sofrendo com esse quadro, a questão a ser tratada no Yoga é mais duradoura que os índices que você vê nos jornais e mais profunda que o invólucro que reveste nossa psique.

 A interiorização sensorial (pratyahara) que muitas práticas do Yoga naturalmente promovem, revelam a ignorância a qual nos acostumamos. Se existe insatisfação com o nosso corpo, precisamos modificar os padrões mentais, do contrario, a incoerência, a confusão psíquica será um estado interno constante. Os hábitos são os atos influenciados pelos padrões mentais, e se o ideal de corpo que tenho em mente não cabe dentro dos meus hábitos, posso aumentar o nível de gasto calórico dos hábitos diários ou o nível de consciência e satisfação somática com o corpo que habito.

A velha novidade, é que ambas as opções podem ser feitas simplesmente respirando.

A uma primorosa frase que diz; a natureza não desperdiça energia. Ela nos remete a quando nos alimentamos com carboidrato, proteína ou gordura além da nossa demanda energética, estamos na verdade, investindo em triglicerídeos, um tipo de gordura que será armazenada no tecido adiposo ao longo do corpo (gordura localizada) para servir de reserva energética. Essa reserva só é disponibilizada por um processo chamado de oxidação

A combustão é uma reação química da oxidação, se você une temperatura interna corporal (calor) oxigênio (comburente) e calorias (combustível) gera Agni, o fogo digestivo capaz de metabolizar os nutrientes, toxinas e até, em uma visão psicosomática, transtornos emocionais subconscientes.

O poder da respiração ficou bem claro na pesquisa feita na Universidade de Nova Gales na Austrália, onde o professor Andrew Brown calculou que ao respirar 29kg de oxigênio uma pessoa pode eliminar até 10 kg de gordura. A lógica é simples, ao interagir com as moléculas de hidrogênio e carbono do triglicerídeo, o oxigênio os converte em H2O (água) e CO2 (gás carbônico) a partir dai, eliminação fica por conta da exalação e da urina. Se controle respiratório é seguido de uma prática de Asanas o poder de combustão é prolongado. Mas sabemos que apenas o pranayama já é capaz de gerar o Agni ou “fogo digestivo” suficiente para a “perda de peso”.

Setu Bandha Sarvangasana

SETU BANDHA SARVANGASANA 7

#DESAFIO #30DIASDEYOGA #EUTAMBEMFAÇO #DIA6

SETU BANDHA SARVANGASANA – POSTURA DA PONTE

Tradução: setu = barragem, dique ou ponte; bandha = fechadura, cadeado;

Postura da Ponte

No nosso sexto dia de desafio, temos a postura da ponte/ Setu Bandha Sarvagasana. Seguem os benefícios e as instruções para realização da postura.

BENEFÍCIOS:

  • Aumenta o aporte sanguíneo na região da cabeça
  • Realinha a coluna, reposiciona os ombros caídos e alivia dores nas costas
  • Alonga os músculos da coluna, liberando tensões acumuladas
  • Alonga a caixa torácica, a garganta e a espinha, expandindo a capacidade respiratória
  • Revitaliza pernas enfraquecidas, fortalece os músculos das pernas e dos glúteos
  • Tonifica os órgãos reprodutores femininos
  • Alonga e tonifica a parede abdominal, contribuindo para o bom funcionamento do sistema digestório e na eliminação das toxinas
  • Regula a atividade do fígado e do baço
  • Estimula o funcionamento da glândula tireoide
  • Pacifica a glândula suprarrenal, responsável pela liberação de adrenalina e cortisol, equilibrando assim as funções nervosas, reduzindo o estresse
  • Alivia tensões do plexo solar, acalmando a mente

 

REALIZAÇÃO DA POSTURA:

  1. Deite no chão, com os pés sobre o chão e os joelhos apontados para cima
  2. Puxe os pés para o mais próximo, da parte anterior da coxa, que for possível
  3. Expire e, pressionando a parte interna dos pés e braços contra o chão, empurre seu cóccix para cima
  4. Enrijecendo os glúteos, eleve-os. Mantenha suas coxas e pés paralelos
  5. Enlace suas mãos logo abaixo da sua pélvis e alongue os seus braços.
  6. Permaneça nesta posição por 5 ciclos respiratórios completos
  7. Desfaça tocando novamente a espinha dorsal no chão a partir dos ombros, desdobrando devagar, expirando, até que a lombar alcance o chão
  8. Para compensar o esforço da coluna vertebral, traga os joelhos até o abdômen, abrace e deixe o corpo rolar de um lado para outro